Como cuidar da alimentação na gravidez, sem preocupações.

Durante a gestação, vale lembrar que você deve ter um equilíbrio entre os ingredientes, junto de cautela e porções fartas de prazer para compor sua receita ideal de alimentação. Assim, em seu novo cardápio, você só não pode ter estresse 😉  

O ganho de peso adequado no primeiro trimestre da gravidez é de 1,5 a 2,0Kg. A partir desta fase, é recomendado um ganho adicional de 1,5 a 2,0Kg por mês para chegar ao final da gravidez com 7,0 a 15,0Kg a mais, no máximo.

Por isso mamães, trouxemos duas dicas muito legais para vocês: os essenciais – alimentação que não pode faltar – e o evite – afinal, sempre é bom deixar algumas coisas de lado. 

 

➡ OS ESSENCIAIS

Durante os nove meses, além de uma dieta balanceada, os especialistas indicam nutrientes que não podem ficar de fora do cardápio diário para uma gravidez saudável:

  • CARBOIDRATOS – Fornecem energia para o organismo da mulher e o desenvolvimento do bebê. A gestante deve priorizar os carboidratos complexos, encontrados, por exemplo, nos pães e cereais integrais, que são absorvidos mais lentamente.
  • FÓSFORO – Participa, como o cálcio, da formação dos brotos dentários e do esqueleto fetal. Fontes: carnes magras e laticínios;
  • PROTEÍNAS – Responsáveis por construir, manter e renovar os tecidos da mãe e do bebê. Encontradas nas carnes, nos feijões, leite e derivados;
  • VITAMINA D – Aliada a banhos de sol periódicos, é essencial para a fixação do cálcio nos ossos. Encontrada no leite enriquecido, manteiga, ovos e fígado;
  • Lípides (GORDURAS) – Promovem a absorção das vitaminas (vitamina A, D E e K) e contêm ácidos graxos essenciais para a formação do sistema nervoso central do feto. Fontes: carnes, leite e derivados, abacate, azeite e salmão, entre outros;
  • NIACINA (VITAMINA B3) – Estimula o desenvolvimento cerebral do feto e transforma glicose em energia. Fontes: verduras, legumes, gema de ovo, carne magra, leite e derivados;
  • PIRIDOXINA (VITAMINA B6) – Importante para o crescimento e ganho de peso do feto, principalmente a partir do segundo trimestre da gestação. Ajuda na prevenção da depressão pós-parto. Principais fontes: trigo, milho, fígado, frango, peixe, leite e derivados;
  • TIAMINA (VITAMINA B1) – Favorece, como a niacina, o metabolismo energético materno e fetal, transformando glicose em energia. Fontes: carnes, cereais integrais, frutas, ovos e legumes;
  • VITAMINA A – Auxilia o desenvolvimento celular e ósseo e a formação do broto dentário do feto. Fontes: leite e derivados, gema de ovo, fígado, laranja, mamão, couve e vegetais amarelos.

 

➡ EVITE

Durante a gestação, o consumo de cafeína (café e chá) deve ser moderado e de preferência feito junto com leite.

É recomendável também evitar frituras, gorduras, alimentos com cheiro forte e desagradável, bem como condimentos (ketchup, pimenta, mostarda e picles). Também não se devem beber líquidos durante as refeições, a fim de evitar a distensão do estômago e uma digestão mais lenta.

Outros alimentos proibidos são: queijo fresco de leite não pasteurizado (devido ao risco de se contrair brucelose); álcool, pois afeta o desenvolvimento do bebê; comidas que aumentam a formação de gases, como grãos, feijão, repolho, couve-flor e bebidas gaseificadas; carne mal passada (por causa do risco de toxoplasmose); e mariscos e maioneses (devido ao perigo de salmonela).

Mas como tudo na vida, aproveita cada momento de sua alimentação em conjunto com seu bebê e na dúvida você já sabe né?! Vem aqui na Nasce e fala com a Betina Ettrich, nossa querida e fantastica nutri. ❤

 

Confira nossos últimos post para ficar por dentro de tudo que rola aqui no blog da Nasce.

Benefícios da natação para os bebês

Você conversa com o seu bebê?